Conta tudo, Michel. Por Moisés Mendes

Michel Temer – Foto: Reprodução

Qual seria a graça de socorrer Bolsonaro e evitar os estragos de um golpe fajuto e não poder contar os detalhes pra ninguém? Michel Temer está contando pra todo mundo. Mas certamente ainda esconde o que tem de melhor.

Temer salvou Bolsonaro, arranjou uma trégua que acovardou a extrema direita e saiu a conversar com os amigos. É como o guri que dá um para-te-quieto no valentão do pátio do colégio, só na conversa, e sai a contar até para o porteiro da escola.

Temer não anda por aí, em encontros fechados, falando da situação do país, como jornalistas aliados da direita ficam informando. Ninguém quer saber dos humores diários de Brasília, porque isso eles já sabem, mas de detalhes do socorro a Bolsonaro.

Leia também

1- Após “pisar”, Bolsonaro faz as pazes com Mourão visando 2022

2- Ex-bolsonarista representa contra Eduardo Bolsonaro por ameaça e perseguição

O jantar de segunda-feira em São Paulo, com empresários e jornalistas, na casa do ressuscitado Naji Nahas, em que levaram um humorista para tirar sarro do socorrido, é o aperitivo do que ele tem para contar.

Temer segredou aos que estavam na mesa que Carluxo estava no gabinete, quando Bolsonaro entregou os pontos e pediu para falar com Alexandre de Moraes.

O filho valente viu o pai acovardar-se. Temer contou que a conversa durou 15 minutos, que Moraes não queria ceder e que no fim das contas Bolsonaro estava mansinho. É pouco.

Temer precisa contar muito mais. Outros têm que convidar o golpista para muitos jantares, com vinho acima de US$ 300, porque ele não tem mesmo mais nada pra fazer. Temer pode percorrer o Brasil e virar o grande fofoqueiro do fim do governo.

Precisamos saber se os militares estavam prontos para o recuo de Bolsonaro, além do que já sabemos. Temer deve contar o que Bolsonaro disse a ele sobre a falta de apoio dos generais a um golpe.

Talvez nem seja mesmo falta de apoio, mas de confiança dos próprios militares na hora de segurarem um golpe clássico ou semiclássico, com amordaçamento do Congresso e do Supremo.

Temer nos deve mais detalhes. Bolsonaro deve ter dito a eles que o golpe sempre foi um blefe, porque os militares nunca encararam a empreitada. Tanto que os chefes das três armas e o ministro da Defesa caíram fora e ele teve de convocar os reservas.

Conta mais, Michel Temer, porque ficar com esses segredos presos no peito só faz mal. Conte porque nós também precisamos gargalhar um pouco.

Abaixo, o vídeo com o humorista André Marinho, convidado para o jantar só para que todo mundo risse e debochasse da tragédia de Bolsonaro. Temer é cruel.

(Texto originalmente publicado em BLOG DO MOISÉS MENDES)
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.