Festival Gastronômico de São Lourenço: as raízes da culinária mineira

Prato Macarronada da vó Cecy, do Chef Sérgio Emílio Póvoa de Almeida.

Por trás de aromas, sabores e texturas de pratos típicos da culinária mineira, descobrimos histórias que atravessaram gerações e, agora, são produzidas pelas mãos de quitandeiras, confeiteiras e outros profissionais da culinária local de São Lourenço. A nona edição do Festival Gastronômico Degusta resgata memórias afetivas da cozinha da Mantiqueira de Minas Gerais. Este ano, o evento ocorre durante todo o mês de setembro com o tema “Comida mineira: de nossas cozinhas ao mundo digital” e conta com uma programação diversa, que vai de circuito gastronômico a concursos.

O festival é realizado pelo São Lourenço Convention & Visitors Bureau, com apoio da Secretaria de Turismo e Cultura da Prefeitura de São Lourenço. Pela primeira vez, acontece de forma híbrida, as atividades se intercalam entre o on-line e o presencial. De acordo com o coordenador do evento, Alexandre Melo, a iniciativa busca, neste momento, fomentar o setor de alimentos e bebidas, que tem sido impactado pela pandemia de Covid-19. “O nosso objetivo é promover ações culturais na cidade de São Lourenço, valorizando os profissionais e fornecedores locais, além de resgatar e registrar os modos de fazer do povo mineiro.”

A programação on-line envolve a votação do concurso “Receitas afetivas”, que termina no dia 30 de setembro, pelo site do evento: www.degustasaolourenco.com.br. Além disso, é possível ter acesso a uma exposição fotográfica com as obras dos ganhadores do II Concurso Degusta de Fotografias, que retratam a gastronomia no terroir da Mantiqueira de Minas. As fotografias refletem a histórias, raízes e prazeres da culinária mineira, com o foco no plantio, temperos e produção de alimentos característicos da região.

Além disso, o evento também irá promover um webinar gastronômico no dia 27 de setembro, reunindo profissionais e especialistas do setor alimentício, no YouTube. “Nós queremos realizar um festival que retrate a cozinha mineira, valorizando os estabelecimentos gastronômicos locais e movimentando a economia do setor, dentro de todos os protocolos de segurança que o momento exige”, afirma Alexandre.

Circuito gastronômico

O tradicional pão de queijo acompanhado de um bom café e uma broa fresquinha são alguns dos produtos que o turista encontrará no circuito gastronômico. Mais de 20 estabelecimentos, entre restaurantes, cafeterias e quitandas, criaram pratos específicos para esta edição do Degusta, com aquele sabor de comida feita no fogão de lenha que só Minas tem. Os valores das refeições variam de R$ 9,90 a R$ 79.

O Circuito Gastronômico conta com a participação de estabelecimentos locais, como o Restaurante do Chico.

No circuito gastronômico é disponibilizado o Passaporte Degusta, que este ano será totalmente digital e contará com QR Code nos estabelecimentos participantes, onde o público receberá um carimbo a cada prato saboreado. Ao atingir a meta de consumo em cinco estabelecimentos, o consumidor será premiado com uma cesta de produtos típicos da região.

Receitas afetivas

O I Concurso Cultural Receitas Afetivas irá premiar as três melhores receitas locais escolhidas pelo público, feitas por cozinheiras e cozinheiros da região. Ao todo, são seis finalistas que buscam, por meio de seus pratos, manter viva a memória e a tradição da culinária local. As receitas selecionadas foram a Rosca de leite condensado, Bolo cremoso de milho, Língua com purê, Coroa do Cedro, Macarronada da Vó Cecy e Torta de ora-pro-nóbis com massa de grão-de-bico.

Todo prato tem uma história. A da receita de Língua com purê começa quando a quitandeira Raquel Luiza de Oliveira tinha 9 anos. Desde pequena, Raquel via sua mãe e avó prepararem o prato que despertava a curiosidade da menina. Entre as conversas na cozinha de casa, sempre regadas a comida e diversão, ela aprendeu a receita.

A quitandeira Raquel Luiza está concorrendo ao Receitas Afetivas com a sua tradicional receita de Língua com Purê.

“Por ter um preço acessível, elas faziam em casa. O segredo da receita é fazer a higienização correta, com fervura inicial para retirar toda a pele. Cozinhar em panela de pressão, caprichar nos temperos e colocar muito amor no que faz”, revela Raquel. Para ela, o valor afetivo está nos sabores e aromas que sempre trazem boas lembranças. “Tive muito aprendizado, se sou quem sou hoje e sei o que sei, foi com estas mulheres que sustentaram suas famílias, não só com comidas maravilhosas, mas com muito amor e afeto.”

O post Festival Gastronômico de São Lourenço: as raízes da culinária mineira apareceu primeiro em Tribuna de Minas.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.