Incêndios florestais seguem desafiando os bombeiros em Minas

O fogo continua a consumir as reservas florestais de Minas Gerais. Nesta terça-feira (14/9), até as 18h, o Corpo de Bombeiros recebeu 238 chamadas em todo o estado. O número elevado continua a deixar o sinal de alerta ligado.

Nas últimas 24 horas, as maiores preocupações estiveram voltadas para Santa Luzia, Conselheiro Lafaiete, Nova Serrana, Bom Despacho, Montes Claros, Janaúba, Januária e Ipatinga.

Dois dos incêndios que mais preocuparam ocorreram em Santa Luzia e Conselheiro Lafaiete, principalmente pelo fato de o fogo que estava na vegetação estar ameaçando residências e até unidades de saúde.

Em Santa Luzia, na Avenida Raul Teixeira da Costa, o fogo ameaçava o Hospital Municipal (veja vídeo cedido pelos bombeiros abaixo). Médicos e pacientes chegaram a correr para retirar seus veículos do estacionamento. No final da tarde, o fogo foi controlado, sem que houvesse riscos para a unidade hospitalar.

Em Conselheiro Lafaiete, uma casa foi atingida na Rua Celso Racioppi, no Bairro Queluz. Segundo o Corpo de Bombeiros, a corporação foi acionada para debelar um incêndio que iniciou na vegetação e se alastrou para a casa.

Segundo populares, uma pessoa ateou fogo em um sofá próximo a uma mata nos fundos da residência, porém, perdeu o controle da situação e rapidamente o fogo se propagou pela mata e atingiu a residência, que era usada também como depósito de diversos materiais recicláveis com elevada carga inflamável.

O suspeito de ter ateado fogo no sofá foi identificado e preso pela Polícia Militar.

Os bombeiros tiveram de agir rapidamente, pois havia o risco de que outras residências fossem atingidas. Nesse combate, seis cães, um jabuti e diversos pássaros foram salvos pelos militares.

Um cão não conseguiu sobreviver e outro está desaparecido. O combate às chamas durou cerca de três horas e foram gastos 25 mil litros de água. Um total de 18 bombeiros foram empenhados, além de funcionários da prefeitura, Polícia Militar e Defesa Civil Municipal.

Nova Serrana e Bom Despacho

Bombeiros de Bom Despacho e Nova Serrana, na Região Centro-Oeste do estado, foram acionados para combater o incêndio num amontoado de madeiras, em que havia enorme risco de propagação para residências que faziam divisa com a propriedade.

O incêndio foi debelado e o risco eliminado. Foram gastos nada menos que 80 mil litros de água para apagar as chamas e realizar o rescaldo.

Este não foi o único empenho dos bombeiros em Nova Serrana. Tão logo terminaram esse combate, seguiram para outro incêndio, desta vez na reserva florestal do Morro do Chapéu.

Quando os militares chegaram ao local, a serra estava em chamas. As dificuldades eram muitas, devido ao relevo montanhoso e à vegetação densa. Além do mais, o fogo já havia alcançado um pasto. 

Foram utilizadas as técnicas de ataque direto a chamas e ataque indireto, de fogo contra fogo. O combate durou cerca de cinco horas e todas as residências que estavam próximas ao foco foram isoladas, eliminando o risco para as pessoas.

Algumas pastagens onde haviam animais também foram isoladas pelas guarnições.

Com o cair da noite, as operações foram interrompidas, visto que o combate na região da serra seria muito perigoso, pois trata-se de um local de topografia muito acentuada e mata muito fechada.

Os moradores da região foram orientados a observar e, caso o incêndio se aproximasse das casas, ou se no dia seguinte de manhã ainda fossem vistos focos de incêndios, deveriam acionar novamente o CBMMG.

Norte de Minas

Em Montes Claros, foram vários incêndios em vegetação. Uma das equipes deslocou-se até Engenheiro Dolabela, onde havia foco em uma mata desde a última quinta-feira.

Com o auxílio da Prefeitura de Bocaiúva, que forneceu maquinário pesado para construção de aceiros, e moradores da região, além de voluntários, os bombeiros conseguiram debelar todos os focos.

Na Serra do Mel, em Montes Claros, o fogo aconteceu em áreas próximas à estrada do antigo lixão, na sexta-feira. Já foi controlado pelos bombeiros, que fizeram vigília até a manhã desta terça-feira.

Duas equipes combateram incêndios em propriedades rurais às margens da BR 251, entre os quilômetros 514 e 512, em lados distintos da rodovia. A vegetação predominante era de pastagem.

Na BR 365, próximo ao quilômetro 9, um incêndio de grandes proporções atingiu uma área de serra, com mata seca, próxima a um posto de combustíveis.

Os bombeiros conseguiram evitar com que o fogo atingisse o local de abastecimento de veículos. No entanto, em razão do terreno acidentado, o incêndio ainda persiste mata adentro. 

No distrito de Tejuco, militares do 7º Pelotão de Bombeiros Militar, sediado em Januária, atenderam a um incêndio florestal em área de cerrado, na Fazenda Pandeiros. Uma equipe com três bombeiros foi enviada ao local e conseguiu debelar o fogo.

Nas comunidades de Taquaril e São José, em Janaúba, prossegue o combate ao incêndio florestal. O trabalho consiste em conter o fogo para que não continue a se propagar na área de serra. Existe uma preocupação com um condomínio residencial ali existente, o Sol Nascente.

Mais uma vez, o terreno acidentado foi o grande empecilho, junto com a falta de estradas de acesso. Esse último detalhe impossibilita a aproximação com caminhão de combate a incêndios. Os bombeiros tiveram de fazer o trabalho à pé, munidos de sapas, que são os abafadores.

Foi feito o alargamento de um aceiro entre a área de serra com vegetação nativa e a propriedade particular conhecida por Rancho Gêmeos, visando proteger residências, um restaurante, pastagens, currais, cercas, plantação de banana, e outros cultivos.

A Prefeitura de Janaúba cedeu caminhão pipa, retroescavadeira e carregadeira, no entanto, segundo o Corpo de Bombeiros, ainda existem focos na parte mais alta da serra.

Vale do Aço

Em Ipatinga, os bombeiros combatem incêndio no Morro da Usipa. Os trabalhos tiveram início na segunda-feira (13/9), com oito militares do Batalhão de Ipatinga e mais 24 voluntários e brigadistas. Na manhã desta terça, alguns militares retornaram ao local para verificação de possíveis focos remanescentes, mas nada encontraram. A área total queimada ainda não apurada.

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.