Mutirão para zerar fila de consultas em Contagem deve começar em outubro

 
Quase 60 mil pessoas aguardam por exames na rede pública de saúde de Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte. O levantamento foi feito pela própria prefeitura, e o argumento principal é que a fila aumentou por causa da pandemia de COVID-19, que reduziu a capacidade de atendimento e a quantidade de agendamentos.
 
Esse é o principal motivo para a criação de um mutirão, que deve começar na primeira semana de outubro. Chamado de “Mutirão Mais Consultas”, a administração espera zerar a fila, oferecendo até 100 mil atendimentos em várias unidades de saúde. 
 
Os dados oficiais apontam que, até essa terça-feira (14/9), 59.064 pacientes aguardam por uma consulta médica na cidade. Desse total, 35.565 ainda nem passaram pelo primeiro encontro com o médico, enquanto 23.499 aguardam um retorno.
 
Em abril, os Centros de Atenção Especializadas Iria Diniz e Ressaca abriram mais vagas para consultas de oftalmologia e pré-natal de alto risco, que teve a fila zerada. Mas as demais especialidades ainda têm uma fila de espera longa.
 
A superintendente de Atenção Especializada, Carla Cristina Vítor, aponta que, hoje, os dois Centros de Atenção Especializada operam com 80% das vagas para consultas, exames e procedimentos. Em outubro, a previsão é de que esteja funcionando com 100% da capacidade.
 
O “Mutirão Mais Consultas” vai atender as seguintes especialidades:
  • cardiologia adulto e infantil
  • cirurgia ambulatorial
  • cirurgia plástica
  • dermatologia
  • endocrinologia adulto e infantil
  • neurologia adulto e infantil
  • nefrologia adulto
  • ortopedia
  • otorrino geral
  • pneumologi
  • postectomia (circunsição) 
  • proctologia
  • urologia
  • vasectomia.
O mutirão deve durar oito meses, a partir do início em outubro. As consultas serão realizadas no Centro de Atenção Especializadas Iria Diniz e no Centro de Consultas Especializadas Ressaca, sempre de segunda a sábado. Exames que sejam necessários para confirmação de diagnóstico também serão oferecidos.
 
A proposta é que o mutirão faça 55.932 primeiras consultas e 41.107 consultas de retorno. O custo estimado do projeto é de R$ 6,2 milhões. Os detalhes para as marcações, quem será chamado e demais detalhes ainda estão sendo definidos.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.