Os argumentos da Blumob à CPI do Transporte Coletivo de Blumenau

Depois de duas semanas de negativa, nesta quarta-feira, 15, a Blumob mandou um representante à CPI que investiga o contrato do transporte coletivo de Blumenau, Maurício Queiroz, diretor do Grupo Comporte.

Com segurança,  respondeu as perguntas dos três representantes – o presidente Carlos Wagner, Alemão (PSL), o relator Alexandre Matias (PSDB) e Marcelo Lanzarin (Podemos) – e os vereadores Professor Gilson (Patriota) e o Diego Nasato (Novo).

Os vereadores Adriano Pereira (PT), João Paulo Taumaturgo (PL)  e o licenciado Emmanuel Tuca (Novo), também passaram pela reunião.

E deixa claro que pontos previstos na licitação que foram relevados na execução do contrato. Mas a empresa tem  responsabilidade menor que a do Poder Concedente, a Prefeitura, a quem caberia ter pulso firme na gestão deste processo.

Pintura de toda a frota na implantação da operação, implantação de uma garagem,  segurança e limpeza de terminais, redução de linhas e horários, situações previstas na licitação que a Blumob foi a única interessada,  tiveram explicações técnicas, “lógicas”, mas confirmam que houve uma flexibilizações no contrato logo depois de ter sido assinado em 2017 e seguem até agora.

O vereador Professor Gilson, que já tinha pedido uma CPI na Legislatura passada, foi muito cirúrgico e incisivo em seus apontamentos na reunião de hoje. A licitação previa algumas condições e elas  foram relevadas ao longo do tempo, sempre em benefício da Blumob, ponto final. A pergunta que fica é se as condições de hoje fossem apresentadas na licitação em 2016 a então Piracicabana seria a única concorrente como foi.

Maurício Queiroz também se apegou na pandemia e tecnicidade da AGIR como argumentos para questões recentes, mas não menos importantes, que culminaram com  aporte de R$ 24 milhões da Prefeitura, com a previsão de mais R$ 10 milhões.

E se fez de coitadinho, ao responder a pergunta se o contrato era viável, sinalizando que a empresa não pensar em ir embora de Blumenau, como já teria feito em outras cidades, pela disposição dos envolvidos em tentar resolver o problema.

A Sessão foi transmitida na íntegra pela TVL, confira.

O post Os argumentos da Blumob à CPI do Transporte Coletivo de Blumenau apareceu primeiro em Informe Blumenau.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.