Serviços no Brasil, inflação nos EUA, espera por fala de CEO da Petrobras e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje

SÃO PAULO – Após uma forte alta do Ibovespa na véspera, com uma combinação de maior calmaria na política com alta das bolsas no exterior, os investidores seguem atentos aos dados de inflação americana, de serviços no Brasil.

Atenção ainda às falas de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, e de Paulo Guedes, ministro da Economia, em evento aberto ao público, enquanto que Joaquim Silva e Luna, presidente da Petrobras, fala na Câmara dos Deputados para explicar o preço alto da gasolina, do gás e do diesel. Confira os destaques:

1. Bolsas mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros americanos operam perto da estabilidade. Investidores aguardam pela divulgação de dados sobre inflação nos Estados Unidos, que podem trazer pistas sobre a perspectiva de redução de estímulos monetários pelo banco central americano.

Na segunda, o S&P e o Dow avançaram, encerrando uma sequência de cinco dias de perdas. O S&P fechou em território positivo, com alta de 0,23%; e o Dow avançou 0,76%, em uma sessão em que chegou a avançar quase 1%. O Nasdaq, no entanto, perdeu 0,07%, registrando sua quarta sessão de quedas consecutivas.

A média de mortes por Covid em sete dias recuou de cerca de 167.600 casos no início do mês a 144.300 na segunda. Isso levou ações ligadas à reabertura econômica, como operadoras de linhas aéreas e cruzeiros, a avançarem na segunda.

Nesta terça serão divulgados dados sobre inflação medida pelo índice de preços ao consumidor. A expectativa de economistas ouvidos pela Dow Jones é de que os preços ao consumidor tenham avançado 0,4% em agosto na comparação mensal, e 5,4% na comparação anual.

Em agosto, o índice de preços ao produtor avançou 8,3% na comparação anual, a maior alta em um ano desde o início do registro do indicador, em novembro de 2010.

Também nesta terça, a Federação Nacional de Negócios Independentes deverá divulgar a sua pesquisa mais recente, com informações a respeito do desempenho de pequenos negócios.

No noticiário político, democratas da Câmara dos Representantes nos Estados Unidos propuseram novas altas de impostos, visando pagar pelo pacote de gastos de US$ 3,5 trilhões do governo.

Em setembro, os principais índices acumulam queda de ao menos 1%. No dia 21 de setembro, o Federal Reserve iniciará sua reunião de dois dias para discussão de suas políticas.

Ásia

As bolsas asiáticas tiveram desempenhos variados entre si, com investidores à espera de dados de inflação relativos a agosto nos Estados Unidos.

Em Hong Kong, os papéis do China Evergrande Group caíram 11,87% após a incorporadora alertar para a perspectiva de um “declínio contínuo e significativo de vendas contratadas em setembro”.

O índice Hang Seng, de Hong Kong, recuou 1,21%; na China continental, o Shanghai composto recuou 1,42%; no Japão, o Nikkei avançou 0,73%; na Coreia do Sul, o Kospi avançou 0,67%.

Europa

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, recua, com destaque negativo para ações do setor de mineração e positivo para ações do setor automotivo. Investidores aguardam dados de inflação nos Estados Unidos.

Na segunda, Isabel Schnabel, do Banco Central Europeu, afirmou que a instituição está pronta para agir caso a inflação não recue antes do ano que vem, como é esperado atualmente.

Também na segunda, o Reino Unido ameaçou suspender unilateralmente o protocolo da Irlanda do Norte –uma parte importante de seu acordo para o Brexit–, caso a União Europeia não mude seu posicionamento em negociações ligadas à implementação do acordo.

Veja os principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):

Estados Unidos

*Dow Jones Futuro (EUA), +0,11%
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,11%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,01%

Europa

*FTSE 100 (Reino Unido), -0,27%
*Dax (Alemanha), +0,12%
*CAC 40 (França), -0,46%
*FTSE MIB (Itália), +0,45%

Ásia

*Nikkei (Japão), +0,73% (fechado)
*Shanghai SE (China), -1,42% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -1,21% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +0,67% (fechado)

Commodities e Bitcoin

*Petróleo WTI, +0,79%, a US$ 71 o barril
*Petróleo Brent, +0,83%, a US$ 74,13 o barril
*Bitcoin, +2,76% a US$ 45.949,67
*Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian registram queda de 1,46%, cotados a 711 iuanes, equivalente hoje a US$ 110,34 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,44

 

2. Agenda

Brasil

9h: Setor de serviços de julho, com consenso Refinitiv de alta de 1% na base mensal e avanço de 18% na comparação anual
9h: Joaquim Luna e Silva, presidente da Petrobras, participa de debate na Câmara dos Deputados
9h: Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, participa de evento do MacroDay, do BTG Pactual
9h30: empresário Marcos Tolentino da Silva presta depoimento na CPI da Covid
17h: Paulo Guedes, ministro da Economia, participa do MacroDay

Estados Unidos

9h30: Índice de Preços ao Consumidor relativo a agosto, com expectativa da Refinitiv de alta de 0,4% frente julho e alta de 5,3% na comparação anual
17h: Estoques de petróleo da semana até dia 10 apresentado pelo API

Europa

14h45: Discurso de Elizabeth McCaul, membro do BCE

China

22h30: Preços de imóveis relativos a agosto
23h: Produção industrial relativa a agosto
23h: Vendas no varejo relativas a agosto

3. Covid, CPI e vacinação

Na segunda (13), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 467, patamar 30% abaixo daquele de 14 dias antes. Em apenas um dia, foram registradas 256 mortes. As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h, o avanço da pandemia em 24 h.

A média móvel de novos casos em 7 dias foi de 15.336 queda de 34% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 8.280 novos casos. Contudo, cabe ressaltar que o feriado prolongado da Independência pode ter influenciado para baixo os dados divulgados nos últimos dias.

Chegou a 138.643.7222 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 64,99% da população brasileira. A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 70.143.567 pessoas, ou 34,83% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 105.569 pessoas.

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia negou na segunda-feira pedido do advogado Marcos Tolentino de não comparecer à CPI da Covid nesta terça. Se ele não comparecer, a Polícia Federal poderá ser acionada.

Toletino é amigo do líder do governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e é suspeito de ser o verdadeiro dono do Fib Bank, empresa que emitiu uma carta-fiança de R$ 80,7 milhões como garantia para a compra da Covaxin, produzida pela indiana Bharat Biotech e vendida no Brasil com intermédio da Precisa Medicamentos.

O contrato de venda da vacina tinha o maior preço por dose, mas foi cancelado após emergirem suspeitas de irregularidades. Senadores dizem ter encontrado indícios de que a garantia oferecida pelo Fib Bank seria uma fraude.

Além disso, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou na segunda-feira que a orientação da pasta é promover o esquema de imunização com as duas doses da mesma vacina, e que o chamado intercâmbio de imunizantes seja utilizado apenas para as doses adicionais ou de reforço.

“A ideia é que a vacina seja homóloga. A dose heteróloga é para reforço ou dose adicional”, disse o ministro a jornalistas. “Isso é para os idosos acima de 70 anos e para aqueles que são imunocomprometidos.”

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), responsável pelo envase no Brasil da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca com a Universidade de Oxford, atrasou as entregas do imunizante ao PNI após a demora na chegada do insumo farmacêutico ativo (IFA) da vacina.

Alguns estados, como Rio de Janeiro e São Paulo, registraram falta de doses do imunizante da AstraZeneca para aplicação da segunda dose, e em alguns locais, como na capital paulista, decidiu-se pela aplicação da vacina da Pfizer como segunda dose para quem tomou a primeira da AstraZeneca.

4. Petrobras, reforma do IR e precatórios

Na véspera, Arthur Lira, presidente da Câmara, criticou o preço alto dos derivados de petróleo e disse que a Petrobras precisa ser lembrada de que “os brasileiros são seus acionistas”. Hoje de manhã, o presidente da companhia, general Joaquim Silva e Luna, falará em comissão da Câmara.

Já o jornal O Estado de S. Paulo informa que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, quer uma reforma do Imposto de Renda mais amadurecida e discutida entre os senadores. O aceno teria agradado setores da economia descontentes com a reforma, além de governadores, preocupados com a potencial perda arrecadatória do texto da Câmara. Desse modo, a matéria diz que a proposta deve ser bastante modificada.

Pacheco já avisou que temas densos vão tramitar na Casa e não seguirão direto para o plenário para permitir o debate amplo, diferentemente do que ocorreu na Câmara, onde a reforma já foi votada direto pelos deputados. O senador quer retirar todo o “excesso” ruim do projeto para que chegue no plenário “amortecido” com o consenso.

Ainda no radar político, ao participar de live promovida pela Genial Investimentos, o secretário do Tesouro, Jeferson Bittencourt, reconheceu que a chamada solução CNJ, do Conselho Nacional de Justiça, que busca limitar a conta de precatórios à inflação do ano anterior, pode ser mais rápida e menos custosa do ponto de vista político do que a PEC dos precatórios. Ele afirmou:

“Nós colocamos a discussão na mesa com a nossa PEC, e a gente defende o modelo da nossa PEC (…) Se outro modelo vier a ser entendido como melhor, eu acho que a gente tem que estar aberto, tem que estar aberto para discutir uma solução via CNJ, que não teria como abarcar todas as soluções que a gente está trazendo.”

Bittencourt ressaltou a importância de a PEC seguir tramitando no Congresso para não haver aposta em um caminho só.
A PEC do governo divide em dez parcelas o pagamento dos precatórios de mais de 66 milhões de reais e impõe uma limitação provisória dos pagamentos anuais de precatórios a 2,6% da receita corrente líquida, o que também sujeitará precatórios entre R$ 66 mil e R$ 66 milhões a eventual parcelamento. Pelo texto, os precatórios de até R$ 66 mil serão integralmente quitados.

Ela precisa do aval de três quintos dos parlamentares em votações em dois turnos tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado, sendo que ainda está em fase inicial de apreciação, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Com a bênção do ministro da Economia, Paulo Guedes, a equipe econômica também estava contando com a solução CNJ, que vinha sendo alinhavada com o STF e que previa limitar o crescimento dessas despesas pela regra do teto de gastos através de uma regulamentação do CNJ.

Também na segunda-feira, o procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou um parecer ao STF em que defende a suspensão da medida provisória editada pelo governo que altera o Marco Civil da Internet e dificulta a remoção de conteúdos falsos e discurso de ódio em plataformas. A medida foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro na véspera do feriado de Sete de Setembro, e foi contestada por partidos no Supremo.

Segundo o jornal O Globo, o Senado ameaça devolver o texto da MP antes mesmo de o STF julgar o caso. A decisão deve ser tomada pelo presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que encomendou um parecer à consultoria jurídica sobre o tema.

Além disso, reportagem de capa do jornal O Estado de S. Paulo destaca que o Ministério do Desenvolvimento Regional seguiu orientação da Controladoria-Geral da União (CGU) e decidiu suspender ou rever contratos para a compra de máquinas agrícolas e pesadas por meio de orçamento secreto, que foi apelidado de “tratoraço”. Uma análise dos contratos identificou sobrepreço de R$ 142 milhões nos contratos, que somam R$ 3 bilhões.

Além disso, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou em evento no Palácio do Planalto que o banco público vai anunciar na quinta-feira redução dos juros para financiamento da casa própria a despeito do ciclo de alta na taxa básica de juros, a Selic.

A fala ocorreu durante o anúncio de um programa de subsídio para aquisição de habitação por profissionais de segurança pública. Guimarães afirmou que a diminuição do custo do crédito imobiliário será possível porque a Caixa tem hoje lucro que nunca teve.

Segundo o presidente da Caixa, o anúncio sobre as taxas será tanto para os contratos corrigidos pela TR quanto pela poupança.

5. Radar corporativo

Petrobras (PETR3;PETR4) e Gerdau (GGBR4)

A Petrobras assinou um acordo com a Gerdau para fornecer gás natural à unidade da companhia em Ouro Branco (MG), no primeiro contrato fechado pela petroleira no ambiente livre de comercialização, em meio à abertura do mercado. Em nota à imprensa, a Petrobras informou que o início do fornecimento está previsto para ocorrer em 1º de janeiro de 2022. No entanto, não informou valores ou os volumes a serem negociados com a siderúrgica.

Ainda no radar da Petrobras, ela deve concluir nos próximos dias o processo de arrendamento do Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL) da Bahia por pouco mais de R$ 100 milhões, em contrato válido até o final de 2023, disseram três fontes com conhecimento das tratativas à Reuters.

Santander (SANB11)

O Santander anunciou na segunda-feira a compra de 70% de plataforma mexicana Mercadotecnia, Ideas y Tecnología (MIT), unindo-a ao seu braço de pagamentos Getnet, que se prepara para uma oferta pública inicial de ações (IPO na sigla em inglês) na Nasdaq.

Em comunicado, o Santander afirmou que a MIT seguirá desenvolvendo soluções para pagamentos e poderá exportar seus negócios para outros países. Fundada em 2004, a MIT tem mais de 35 mil clientes e 125 mil terminais de pagamentos (POS), com 10% do setor no México.

BRF (BRFS3)

A companhia de alimentos BRF informou na segunda-feira investimento de R$ 51 milhões em sua fábrica na cidade de Marau, no norte do Rio Grande do Sul, para modernizar e ampliar unidade de produção de salsichas. O valor integra o aporte de R$ 171 milhões já anunciados pela companhia para o Rio Grande do Sul no início de agosto.
O investimento será realizado majoritariamente ainda em 2021, segundo a companhia.

Vale (VALE3)

Conforme apresentação feita a investidores na última quinta-feira, a Vale projeta terminar 2022 com capacidade produtiva de minério de ferro de 370 milhões de toneladas ao ano, ante 400 milhões de toneladas na previsão anterior, à medida que enfrenta atrasos em projetos no Sistema Norte, onde está sua principal mina. Para 2021, a capacidade do Sistema Norte fechará em 205 milhões de toneladas, mesmo número agora previsto para o fim de 2022.

Proteínas

A média diária de exportações de carne bovina atingiu 12,4 mil toneladas até a segunda semana deste mês, uma disparada de 83,1% em relação ao volume embarcado por dia em setembro de 2020, apesar de uma suspensão temporária de vendas da proteína para a China, mostraram dados do governo federal na segunda-feira.

No dia 4 de setembro, o Ministério da Agricultura confirmou a ocorrência de dois casos atípicos da doença Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como “vaca louca”, no Brasil que causou o embargo aos chineses a partir de então, devido a um protocolo já estabelecido pelo país asiático.

As exportações da proteína in natura do Brasil, no entanto, além de registrarem avanço significativo no comparativo anual, também aumentaram em relação à primeira semana do mês, quando a média diária estava em 10,5 mil toneladas, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Conheça o plano de ação da XP para você transformar os desafios de 2022 em oportunidades de investimento.

The post Serviços no Brasil, inflação nos EUA, espera por fala de CEO da Petrobras e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje appeared first on InfoMoney.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.