Tech Neck – Conheça a Síndrome do “Pescoço Tecnológico”

Se você anda sentindo dores na cervical e no pescoço com mais frequência, preste mais atenção no tempo que está passando no celular. Na pandemia, o hábito de olhar para a tela do smartphone está mais intenso porque o aparelho ganhou novas funções na nossa vida. Através dele, passamos a ter o contato social com os amigos e a família, o espaço de reuniões de trabalho, a academia online e também o entretenimento, com milhares de filmes e séries de todos os aplicativos de streaming ao nosso alcance.

A postura de olhar para baixo diante das telas, que tem consequências ortopédicas e de aceleração do aparecimento de rugas e de papada, ganhou até nome específico: tech neck (pescoço tecnológico).

+ Apple divulga preços oficiais do iPhone 13 e iPad; veja aqui

O excesso de telas atropelou o cotidiano nos últimos 15 meses. Inclinar a cabeça para baixo num ângulo de 45 graus por muitas horas ao longo do dia, como se costuma fazer diante do smartphone, equivale a um impacto de 22 kg sobre os ombros. Segundo uma pesquisa da Universidade de Chung-Ang, na Coreia do Sul, mulheres a partir dos 29 anos já apresentam vincos no pescoço enquanto normalmente
seria depois dos 40. Nos consultórios, já estamos observando esta o surgimento precoce de rugas na região e aumento da flacidez na região da papada.

Como saber se estou sofrendo de Tech Neck?

Como dito acima, a flacidez, as rugas e até a popular “papada” são alguns dos principais sintomas do Tech Neck. No entanto, uma coisa é fato: é difícil perceber que esses sintomas estão se desenvolvendo de uma hora para a outra – eles são mais perceptíveis a longo prazo.

No curto prazo, segundo a Dra. Juliana, o principal são as dores na coluna por contraturas musculares ou alterações nas vértebras.

Como evitar

Sente-se corretamente

“Todo desequilíbrio no corpo pode causar assimetrias”, continua Alessandra. “Se você estiver vendo rugas em um lado do pescoço mais do que no outro, verifique sua postura, para ter certeza de que está sentando-se e ficando em pé com a coluna ereta e relaxada, os ombros uniformes e a respiração estável. Uma vez que nosso corpo e rosto estão conectados, o que o corpo faz aparece no rosto e no pescoço.”

Postura

A fonoaudióloga explica que, apesar de ensinar exercícios faciais, sempre coloca muita ênfase na postura corporal, porque corpo e pescoço estão conectados e o que acontece com um, reflete no outro.

Diminua o uso de eletrônicos

E a principal forma de evitar que a Síndrome de Tech Neck apareça provavelmente não vai agradar você de cara: “Diminuir o tempo de uso dos dispositivos eletrônicos e tentar, ao usá-los, mantê-los na linha dos olhos para evitar a inclinação da cabeça, que leva, a longo prazo, a alterações estéticas e funcionais do pescoço e coluna cervical”, explica a Dra. Juliana.

Alessandra complementa: se diminuir o uso do celular, por exemplo, parece impossível, então que tal mudar a maneira de usá-lo? A sua principal dica é criar uma boa relação com os fones de ouvido: “Você pode usá-los para meditar de manhã e à noite e quando quiser se concentrar e evitar o ruído externo, mas o mais importante, é usá-lo quando falar ao celular!”, diz. “É fácil conectar seus fones de ouvido ao celular e usá-los em vez de segurar o aparelho próximo ao ouvido.”

Cuide da pele

“Hidratar bem a pele do pescoço, usar filtro solar e cremes específicos para região também contribui para evitar ou minimizar as alterações nesta área.”

Faça exercícios

Fazer exercícios físicos para fortalecer o abdômen / core também é importante, já que é ele que sustenta o corpo (principalmente na postura sentada), assim como buscar sempre corrigir a postura quando você perceber que saiu do ideal.

Em resumo, veja o que você pode fazer para evitar o Tech Neck:

Hidratar bem a pele do rosto, pescoço e colo, sempre priorizando movimentos de baixo para cima (nunca de cima para baixo!);

Ao usar aparelhos eletrônicos, manter as telas na altura dos olhos;

Priorizar o uso de fones de ouvido para mandar mensagens de áudio ou falar ao telefone;

Fazer exercícios físicos que fortaleçam o core e ajudem na manutenção da postura;

Usar mesas e cadeiras adequadas para o trabalho em frente ao computador.

Como tratar

Quando o assunto são tratamentos, existem hoje uma série de opções para lidar com a flacidez e a papada. “Peelings, botox, preenchimento com ácido hialurônico, skinboosters (hidratação injetável), lasers, ultrassom microfocado, bioestimuladores, fios de PDO, fios de ác. polilático e até mesmo a cirurgia de lifting cervical”, diz Juliana. “A indicação depende do caso e deverá ser avaliada por um dermatologista ou cirurgião plástico

O post Tech Neck – Conheça a Síndrome do “Pescoço Tecnológico” apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.