Veja a lista das cidades de Minas que já concluíram a vacinação de adultos

Mais da metade dos municípios mineiros já vacinou a população adulta com ao menos uma dose de vacina contra a COVID-19. A informação é da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). 

Segundo a pasta, 438 entre as 853 cidades mineiras (51,3%) já alcançaram todos os maiores de 18 anos.

 

Questionada sobre as localidades com falta de imunizantes no estado, a SES-MG informou que “até o momento, apenas Montes Claros, no Norte de Minas, oficializou a falta da vacina AstraZeneca”. Nos demais municípios, o governo diz que a campanha “segue de forma regular”. 
O Estado de Minas também questionou à Secretaria sobre o  total de doses de CoronaVac disponíveis nas cidades onde a imunização de adultos já foi concluída, uma vez que o Executivo estadual pretende recolher o composto para redistribuição entre as prefeituras com vacinação menos adiantada. 
A SES-MG diz que ainda aguarda manifestação dos municípios sobre seus estoques. 

Intercambialidade

O EM solicitou ao estado um posicionamento sobre a combinação da vacina da AstraZeneca com doses de outros laboratórios, diante da falta do imunizante do Instituto Butantan em Montes Claros e ao menos cinco capitais brasileiras, incluindo Belo Horizonte,
Por ora, o governo diz que o uso de segunda dose de outro fabricante na vacinação não está recomendado.
“Sobre a intercambialidade dos imunizantes, a SES-MG segue as recomendações do Ministério da Saúde e, neste momento, não orienta a administração da vacina da Pfizer em caso de falta da vacina AstraZeneca, para a segunda dose”, diz a nota enviada ao Estado de Minas.

Redistribuição

Na terça-feira (14/9), o Secretário de Estade de Saúde Fábio  Baccheretti detalhou o funcionamento da redistriuição de vacinas para aceleração da campanha de vacinação contra a COVID-19 no estado. 
Conforme a Deliberação 3.508 da Comissão Intergestores Bipartite do Estado de Minas Gerais (CIB-SUS/MG), publicada em 3 de setembro, as localidades que já protegeram os adultos com ao menos uma dose terão de informar o fato à SES-MG. Caso haja sobra de unidades da CoronaVac, os compostos devem ser entregue às Superintendências Regionais de Saúde (SRS) para posterior rearranjo entre as prefeituras com  esquema vacinal mais atrasdo. 
A medida, no entanto, parece tropeçar na logística já estruturada pelos municípios. Prefeituras da Grande Belo Horizonte ouvidas pelo Estado de Minas, incluindo os três maiores municípios – BH, Contagem e Betim – informaram não ter como ceder seus estoques agora.
Em Contagem, por exemplo, a  Secretaria de Saúde afirma que que o estoque de CoronaVac está baixo e o município tem utilizado essa reserva para aplicação da primeira e segunda doses da vacina. Com isso, não poderia abrir mão de seus imunizantes. 
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.