Barcelona demite Abidal durante reestruturação e cogita volta de Koeman

Ronald Koeman disse que está debatendo uma possível despedida do comando da Holanda para suceder Quique Setién como técnico do Barcelona, que levou adiante sua iniciativa de reestruturação nesta terça-feira demitindo o diretor esportivo Éric Abidal.

Espera-se que Koeman, que é reverenciado pelos torcedores do Barça por render ao time sua primeira Copa Europeia, se encarregue de recompor o clube depois da surra de 8 x 2 para o Bayern de Munique nas quartas de final da Liga dos Campeões.

O holandês, que treina seu país desde 2018, disse aos repórteres diante da sede da seleção nesta terça-feira que quer comandar a equipe espanhola, mas que ainda não finalizou um acordo.

“Só é definitivo quando minha assinatura estiver no documento. Até então, não posso dizer nada, mesmo que quisesse”, disse Koeman.

Ele é lembrado com carinho no Barça devido ao papel que teve no elenco imensamente bem-sucedido de Johan Cruyff, conhecido como o “Time dos Sonhos”, e por marcar o único gol sobre a Sampdoria na final da Copa Europeia de 1992.

Mais tarde, o zagueiro se tornou técnico assistente do clube e depois iniciou uma carreira exitosa de treinador, comandando os times holandeses Ajax Amsterdã, PSV Eindhoven e Feyenoord, os ingleses Southampton e Everton e o espanhol Valência.

Ainda no mesmo dia, o Barcelona decidiu encerrar o contrato de Abidal, que foi pego de surpresa porque um dia antes o clube havia dito que o francês supervisionaria sua reestruturação.

Abidal, que foi alvo de críticas de Lionel Messi no início do ano, sai após uma das piores temporadas do time no passado recente, durante a qual perdeu o título da liga espanhola para o Real Madrid.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.