Bolsonaro cria Centro de Inteligência Nacional na Abin

Com o objetivo de enfrentar “ameaças à segurança e à estabilidade do Estado e da sociedade”, o presidente Jair Bolsonaro criou uma nova unidade na Abin (Agência Brasileira de Inteligência): o Centro de Inteligência Nacional.

O decreto com a mudança na estrutura do órgão foi publicado na última 6ª feira (31.jul.2020) no DOU (Diário Oficial da União). O ato foi assinado por Bolsonaro e pelo general Augusto Heleno, chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional).

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

Em abril, o presidente reclamou dos serviços de inteligência e disse que a Abin “tem seus problemas”.

As atribuições da nova unidade serão as seguintes:

  • assessorar os órgãos competentes no que se refere a atividades e políticas de segurança pública e à identificação de ameaças decorrentes de atividades criminosas;
  • realizar pesquisas de segurança para credenciamento e análise de integridade corporativa;
  • planejar ações destinadas à produção integrada de conhecimentos de inteligência entre unidades da Abin e destas com parceiros;
  • propor cooperações técnicas entre integrantes do Sistema Brasileiro de Inteligência e de agências parceiras;
  • desenvolver ações destinadas à inovação na atividade de inteligência e coordenar unidades da Abin com parceiros para a produção integrada de conhecimentos de inteligência; e
  • planejar, coordenar e implementar a produção de inteligência corrente e a coleta estruturada de dados.

Para preencher o quadro de funcionários, foram remanejados cargos de outras áreas do governo.  As medidas entram em vigor em 17 de agosto.

Continuar lendo
Adicionar aos favoritos o Link permanente.