Círio da Conceição reúne 56 mil veículos em Santarém: ‘momento de oração, de amar o próximo’


Romaria saiu do Residencial Salvação e percorreu 20 km pelas ruas do município. No trajeto, homenagens e emoção marcaram a passagem da santa por diversos bairros. 22 de novembro não foi uma manhã de domingo comum na Pérola do Tapajós. Ainda nas primeiras horas do amanhecer nublado em Santarém, no oeste do Pará, milhares de veículos se direcionaram a uma única direção: o local onde a Virgem da Conceição os aguardava para iniciar o Círio 2020, que meio à pandemia mudou o trajeto, mas não a forma de aproximar fiéis de Deus.
Depois da missa de envio na igreja de Cristo Salvador, no Residencial Salvação, mais de 56 mil veículos já tinham ganhado as ruas. Do carro-som ouviu-se “É Círio outra vez”. Perfilados e sob o estouro dos rojões nos céus, os veículos iniciaram a romaria que antes de começar já entrava para a história da cidade, às 7h15.
Missa de envio do Círio de Nossa Senhora da Conceição, em Santarém
Geovane Brito/G1
Em destaque na viatura da Polícia Civil rodeada de flores brancas e amarelas, a imagem Nossa Senhora da Conceição iniciou os mais de 20km do trajeto levando esperança a quem à ela recorre por dia melhores. A cada quarteirão homenagens. Algumas simples; outras mais trabalhadas, mas todas com o objetivo de agradecer bênçãos.
Imagem de Nossa Senhora da Conceição foi colocada em uma viatura da Polícia Civil do Pará
Geovane Brito/G1
Para o arcebispo metropolitano, Dom Irineu Roman, que participou pela primeira vez da romaria à Virgem da Conceição, foi um momento emocionante pela fé e desafiador pela pandemia. “Com todos os cuidados necessários conseguimos realizar o círio desta forma. Todos estão felizes. Houve essa experiência de tocar no sentimento”, disse.
“Foi um Círio de muita oração, de um voltar-se mais para dentro do que para fora. As pessoas foram mais introspectivas, elas fizeram uma experiência interior de olhar para si e cuidar da saúde, cuidar dos outros, amar o próximo”, completou.
O amor à Maria foi sentido e externado de todas as formas. Nas igrejas e nas casas, altares em branco e azul celeste e cânticos deram ritmo à romaria em forma de carreata.
Um dos momentos mais marcantes foi a parada, embora rápida, em frente ao Hospital Regional do Baixo Amazonas, para pedir a intercessão àqueles que se encontram acamados lutando pela vida. Das sacadas da unidade hospitalar, mãos de profissionais da saúde e pacientes erguidas em direção à berlinda. A distância foi mínima para quem tanto esperou pela passagem da santa.
Círio de Nossa Senhora da Conceição em Santarém, no Pará
Geovane Brito/G1
Aos poucos, Nossa Senhora completava o percurso. O manto dourado e a coroa com 11 estrelas eram vistos de longe e sempre recepcionados por aplausos por onde passavam.
No Sindicato dos Estivadores a única parada mais demorada. O motivo foi logo visto no céu assim que a Virgem Conceição parou em frente ao prédio: fogos de artifícios coloridos. A tradicional homenagem durou cerca de 10 minutos e teve 400 dúzias de fogos.
Homenagem em frente ao Sindicato dos Estivadores de Santarém
Geovane Brito/G1
Na avenida Tapajós o dourado do manto contrastava com o azul usado pela maioria dos fiéis. Como no encontro das águas, caminhando lado a lado, os filhos seguiram a mãe imaculada até à Catedral Metropolitana.
Chegada imagem de Nossa Senhora da Conceição na catedral de Santarém
Geovane Brito/G1
Recebida pelo cântico das festividades e pelo secular badalar dos sinais da Catedral, Nossa Senhora da Conceição encerrou o trajeto por volta do meio-dia. Ao final, Dom Irineu deu as bênçãos a todos.
Fé e devoção
Imagem de Nossa Senhora da Conceição passando em frente ao HRBA durante o Círio 2020
Geovane Brito/G1
Por todo o trajeto da carreata do Círio, foram diversas as manifestações de fé e devoção à Virgem da Conceição. Famílias reunidas na frente de suas casas com pequenos altares e imagens de Nossa Senhora, membros de comunidades católicas que se reuniram para prestar suas homenagens com músicas ou queima de fogos, familiares de pacientes em frente ao Hospital Regional do Baixo Amazonas e da UPA 24h pedindo a intercessão da Imaculada.
A jovem Nicole Bastos, de 19 anos, que é da paróquia de Nossa Senhora do Rosário, no bairro Santarenzinho, desde criança participa da procissão do Círio e nas programações de sua comunidade, sempre representa Nossa Senhora do Rosário.
Jovem Nicole Bastos, de 19 anos, prestando homenagens à Virgem da Conceição
Sílvia Vieira/G1
Neste ano, como não houve procissão, ela ficou em um ponto estratégico da avenida Fernando Guilhon vestida como se fosse Nossa senhora do Rosário. Foi uma forma de homenagear a mãe de Jesus.
“Pra mim é uma honra muito grande poder estar aqui. Eu amo Nossa senhora, ela é nossa mãe, nossa intercessora”, disse Nicole.
Em frente ao Hospital Regional do Baixo Amazonas, muitos devotos aguardando a passagem da imagem de Nossa senhora da Conceição, entre eles, Ysadora Mota, que acompanha a mãe que está internada no HRBA para tratamento de câncer. No rosto as lágrimas e no coração, a fé na intercessão de Nossa Senhora para a cura de sua mãe.
Ysadora Mota, acompanha a mãe que está internada no HRBA, se emocionou com a passagem da santa
Sílvia Vieira/G1
“Ontem minha mãe passou mal e eu pedi a intercessão de Nossa Senhora. Hoje ela está melhor e eu tenho fé em Deus que ela será curada. Minha mãe me ensinou a amar Maria, a ter fé em Deus e a fé nos impulsiona, nos encoraja a vencer as batalhas”, disse Ysadora.
O agente penitenciário Alberto Torres se reuniu com a família e membros do movimento de cursilhos que ele participa, para prestar homenagem à Virgem Conceição. Muito emocionado, Alberto disse que mesmo sendo um Círio completamente diferente por causa da pandemia da Covid-19, mas a fé foi renovada e o povo foi para as ruas agradecer pelas bênçãos alcançadas.
Agente prisional Alberto Torres prestando homenagem à Nossa Senhora da Conceição, em Santarém
Sílvia Vieira/G1
“A gente gosta de caminhar com Maria, mas esse ano não teve procissão. Então, nos reunimos pra esperar a imagem passar. Graças a Deus nós estamos com saúde e confiamos em Deus e na intercessão de Nossa senhora, para que em 2021, o Círio volte a ser realizado como nos anos anteriores e que mais gente possa participar”, disse Alberto.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.