Congresso decide nessa terça se acaba com monopólio do mercado de gás

Com isso, a votação foi adiada para esta terça-feira. “Agora vai”, diz o deputado Laércio Oliveira (PP-SE), relator do projeto de lei.

O Congresso aprovou no dia 29 de julho um pedido de urgência para o encaminhando da lei do gás. A expectativa era que o novo marco regulatório, que quebra o monopólio da Petrobras, fosse votado na segunda ou terceira semana de agosto.

“O tema é extremamente importante para destravar o mercado de gás, um setor essencial da economia brasileira, mas também traz um certo grau de discussão por acabar com um monopólio histórico”, diz Oliveira.

A votação deve acontecer no final da tarde e prosseguir até a noite. O assunto deverá ser largamente debatido. “Contamos com a adesão da maioria dos parlamentares, mas deverá haver o contraditório”, afirma o deputado.

O mercado de gás deve atrair cerca de 43 bilhões de reais em investimentos nos próximos anos, segundo projeções do governo. A abertura à concorrência deve provocar uma redução de até 40% no preço do gás, um insumo largamente utilizado pela indústria.

Hoje, a Petrobras e suas subsidiárias controlam esse mercado. Com a nova lei, a iniciativa privada poderá participar de todas as fases da cadeia produtiva do gás, incluindo a construção de gasodutos e o transporte do insumo.

“Uma regulamentação mais flexível, com autorização para empresas fazerem, por exemplo, a estocagem e gasodutos, permitirá a adaptação e o desenho de novos modelos de negócios. E eles já estão surgindo”, diz o ministro Bento Albuquerque, de Minas e Energia.

O gás natural compõe uma parcela significativa do custo de indústrias de setores como siderurgia, química, cerâmica e vidro. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, o gás representa de 30% a 50% do custo total de fabricação de um metro quadrado de cerâmica. “Com a concorrência no mercado de gás, a busca por maior eficiência e preços mais baixos deverá colaborar na redução do chamado custo Brasil”, diz Bento Albuquerque.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.