Covid-19:  Leitos de UTI parados e falta de prestação de contas preocupam Dr. Vicente

“É preciso corresponsabilidade entre os entes. O Estado precisa de dados concretos para enfrentar a pandemia de Covid-19”

Atendendo proposta do deputado Dr. Vicente Caropreso (PSDB), o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, participou nesta terça-feira (18) da reunião da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa para falar das ações de enfrentamento à Covid-19 e dos desafios para desacelerar a curva de contágio. Dois pontos centrais preocuparam o deputado: a falta de prestação de contas adequada por parte dos hospitais filantrópicos e municipais e o fato de 120 leitos de UTI não estarem em funcionamento devido a falta de profissionais e medicamentos.

O secretário confirmou que a pasta está tendo dificuldade em acompanhar a aplicação dos recursos e insumos distribuídos aos hospitais filantrópicos e municipais. Ribeiro afirmou que a secretaria disponibilizou meios digitais e treinamento para que hospitais possam fazer a prestação de contas de forma adequada e em tempo real  e informou que uma auditoria está sendo realizada com foco na gestão dos estoques de insumos e medicamentos para UTIs.

“Nos municípios, a  rede hospitalar filantrópica é corresponsável pela gestão. É fundamental manter relatórios atualizados, para que o governo possa fazer a gestão correta e otimizar a aplicação dos recursos. Não se sabe por exemplo, com exatidão, qual é o estoque do kit de anestésicos necessários para intubação dos pacientes com Covid-19. Em um lugar pode estar sobrando e em outro faltando medicação, o governo precisa de dados corretos e em tempo real”, alertou o deputado ao tratar do assunto no Plenário da Assembleia Legislativa.

Quanto aos 120 leitos de UTI que ainda não estão em operação, o deputado, por meio da Comissão de Saúde, solicitou ao secretário a relação desses leitos com informação do local e motivo de não estarem recebendo pacientes.  Com esses leitos em operação o número de vagas em UTIs disponíveis para pacientes com Covid-19 chegaria a quase 800 no estado. “Queremos ajudar a resolver os problemas. Temos realizado um grande esforço, com o governo estadual e o Ministério da Saúde, para habilitar novos leitos de UTI e não podemos perder isso. Nosso foco é não faltar equipamentos para atender a população”, destacou.

Reduzir a curva

Com mais de 121 mil casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus e mais de 1,8 mil registros de óbitos pela doença no estado, o secretário destacou uma mudança no enfrentamento da pandemia. É necessário aprimorar a triagem, com atendimento precoce,  e o isolamento dos pacientes contaminados, com a rastreabilidade de seus contatos e a ampliação da testagem. O Estado planeja comprar mais 300 mil testes e demanda ao Ministério da Saúde o repasse de outros 500 mil. O objetivo é evitar uma segunda onda da doença.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.