Diretoria de Gestão de Pessoas promoverá segundo ciclo do Programa Mães do Judiciário

O Programa Mães do Judiciário nasceu para encurtar distâncias, ampliar o acesso à informação e firmar ainda mais os laços da Administração com as servidoras e magistradas do Poder Judiciário de Santa Catarina que aliam a vida profissional à maternidade.

O encerramento do primeiro ciclo aconteceu em dois encontros no último dia 11 de agosto e contou com a presença da magistrada Fabiane Alice Müller Heinzen Gerent e da servidora psicóloga Luciana Rabello Silva, que abordaram o tema “carreira e maternidade” com servidoras de 27 unidades (comarcas e Tribunal de Justiça).

Na oportunidade, o diretor da DGP, Rafael Giorgio Ferri, acompanhado pelo oficial de gabinete e coordenador da Presidência, Cleon Bassani Ribas, e pela diretora de Saúde, Graciela de Oliveira Richter Schmidt, apresentou a página do Programa Mães do Judiciário no Portal do Servidor, que contém materiais de consulta e apoio às mães, como a “Cartilha da Mãe Servidora” e o “Depoimentos das Mães do Judiciário”, ambos desenvolvidos pela equipe do programa em conjunto com o Núcleo de Comunicação Institucional.

“Finalizamos a primeira etapa com muito acolhimento, partilha de experiências e novas perspectivas às colegas mães, com carinho extensivo às famílias. Os encontros foram repletos de sentimento de valorização ao corpo funcional e de pertencimento ao Judiciário catarinense. A equipe está extremamente motivada para a etapa seguinte, que integrará servidoras e magistradas”, descreveu a gerente do programa, Danielle Cristina Novack.

Confira os relatos das palestrantes do encerramento do primeiro ciclo:

Embora convidada para falar, me vi inserida e completamente entregue a uma roda de amor, empatia e respeito. Só tenho que agradecer à equipe organizadora pelo convite para participar de algo tão lindo e enriquecedor.

Fabiane Alice Müller Heinzen Gerent, magistrada da comarca de Santo Amaro da Imperatriz

Um encontro de mães (e sobre mães) é sempre uma oportunidade de encontrar o que há de mais sensível e potente em nós. Pois apesar do tempo ter uma forma maravilhosa de nos mostrar o que realmente importa, a maternidade intensifica essa evidência.

Um encontro de mulheres-mães-profissionais abre uma possibilidade peculiar e valorosa de diálogo sobre o ser integral que somos na fusão de tantos papéis que exercemos na vida, incluindo os desafios, realizações, possibilidades, dificuldades, apoio e possíveis soluções.

Vivenciar um encontro de mães-servidoras do PJSC como este do Programa Mães do Judiciário, foi sentir um pouco da emoção de todas essas possibilidades em mim e em cada uma das que participaram, com o adicional do sentimento de parceria e pertencimento por fazermos parte de uma mesma instituição. Mesmo estando em meio aos desafios de uma pandemia associados à intensidade da maternidade, pudemos sentir que, além de não estarmos sozinhas, que a visão do PJSC no que tange à humanização, também nos inclui.

Encontros assim, aquecem e iluminam o sentido da nossa caminhada.

Sinto-me grata pela oportunidade de sentir o fluxo desse calor circular por cada uma de nós, e desta forma, alcançar nossas famílias e nosso trabalho.

Luciana Rabello Silva, servidora psicóloga da Diretoria de Gestão de Pessoas

Para mais informações sobre o Programa Mães do Judiciário, enviar e-mail para dgp.maesservidoraspjsc@tjsc.jus.br

Imagens: Divulgação/Assessoria de Artes Visuais NCI
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.