Economia do Chile cai 12,4% em junho devido a impacto de Covid-19, informa BC do país

A atividade de mineração cresceu 2,2% em junho, enquanto a atividade fora do setor de mineração recuou 14%. A economia do Chile caiu 12,4% em junho na comparação anual, devido ao impacto da pandemia de coronavírus, informou o banco central nesta segunda-feira (3).
A queda no índice de atividade econômica Imacec, que representa cerca de 90% do Produto Interno Bruto (PIB), ocorre depois do tombo histórico de 15,3% em maio. A atividade de mineração cresceu 2,2% em junho, enquanto a atividade fora do setor de mineração recuou 14%. O Chile é o maior produtor mundial de cobre.
Argentina e Chile começam a flexibilizar confinamento, após quase 4 meses de confinamento
“O resultado do mês foi impactado pelos efeitos da emergência sanitária. Nesse contexto, as atividades mais afetadas foram serviços e construção e, em menor grau, comércio e manufatura”, afirmou o banco central em nota.
Desde a detecção do primeiro caso de Covid-19 no país, no início de março, as autoridades impuseram restrições e confinamentos a uma grande parte da população, afetando principalmente a atividade comercial e de serviços.
O banco central observou que, nos serviços, destacaram-se as quedas em educação, transporte, restaurantes e hotéis e serviços empresariais. Enquanto isso, a produção de cobre foi ligeiramente afetada pela pandemia, apesar do aumento de casos na região de mineração do norte do país, que levou a restrições sanitárias e até para algumas operações.
Em termos dessazonalizados, o Imacec subiu 1,7% em relação a maio, embora tenha caído 13,3% em doze meses. Analistas consultados pelo banco central esperavam queda de 16,1% em junho.
O Chile soma 360 mil infecções e mais de 9.600 mortes por coronavírus.

Com Agências

Adicionar aos favoritos o Link permanente.