Ibovespa fecha em queda e quase perde os 100 mil pontos

A bolsa brasileira fechou em queda nesta quinta-feira, 13, com incertezas sobre o andamento das negociações entre republicanos e democratas sobre novos estímulos no Estados Unidos. O Ibovespa, principal índice da B3, caiu 1,62% e encerrou em 100.460 pontos. Na mínima da sessão, o índice tocou 100.187 pontos.

“Estamos cada vez mais próximos das eleições nos Estados Unidos e se percebe que é preciso aprovar o pacote de estímulos, mas republicanos e democratas não se entendem, isso acabou derrubando as ações no mercado americano”, afirma Pedro Galdi, analista da Mirae Asset.

Pela manhã, a bolsa abriu em alta, com dados de pedidos de seguro desemprego nos EUA contribuindo para o tom positivo nos mercados. Por lá, o número de pedidos ficou em 963.000 ante a expectativa de 1,120 milhão de pedidos. Esta foi a primeira vez que o número ficou abaixo de 1 milhão desde o início da pandemia. “O resultado foi muito bom e dá sequência à desaceleração dos pedidos, ficando, finalmente, abaixo de 1 milhão”, comenta Arthur Mota, economista da Exame Research.

A aproximação entre o governo e líderes do chamado “Centrão” também repercutiu positivamente entre os investidores. Ontem, depois da “debandada” ter aumentado as dúvidas sobre a condução econômica do governo, o presidente Jair Bolsonaro se juntou com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, para reafirmar o compromisso fiscal.

Em mais um sinal de aproximação, Bolsonaro também escolheu Ricardo Barros para assumir o cargo de líder do governo na Câmara no lugar do major Vitor Hugo. O mercado espera que a melhor interlocução com parlamentares ajude no andamento de pautas econômicas.

Na bolsa, as ações da Petrobras tiveram forte impacto na queda do Ibovespa, recuando cerca de 3%, acompanhando o movimento de queda do petróleo. Também com grande peso no índice, os papéis dos grandes bancos e da Vale tiveram dia de perdas.

Entre as maiores altas, as ações da Via Varejo lideram as altas do Ibovespa, subindo 3,4%, após registrar lucro líquido de 65 milhões de reais no segundo trimestre e acelerar sua frente de e-commerce. Na máxima do dia, o ativo chegou a superar os 8% de alta. As ações da Magazine Luiza até chegaram a acompanhar o tom positivo, mas cederam os ganhos, conforme a piora do clima no mercado.

Já as ações da BRF lideraram as perdas da sessão, recuando 7,9%, após apresentar resultado abaixo do esperado e autoridades chinesas terem encontrado coronavírus em frangos importados do Brasil. “O frango pode nem ser da BRF, mas só de ter esse risco de transmissão já dificulta o comércio da companhia”, afirma Ilan Arbetman, analista da Ativa.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.