Marqueteiros e assessores trocam de lado durante pré-campanha à Prefeitura de São Paulo

A menos de duas semanas do início das convenções partidárias para as eleições municipais, os pré-candidatos da capital promovem uma dança das cadeiras na montagem de suas equipes. A maioria das 13 pré-candidaturas apresentadas até o momento já negociou a contratação ou já conta com uma estrutura jurídica e de comunicação.

O caso que mais chama a atenção é o “intercâmbio” entre o PSDB, do prefeito Bruno Covas, e o PSB, do ex-governador Márcio França. Ex-secretário de Negócios Jurídicos da Prefeitura e ex-coordenador da campanha municipal de João Doria em 2016, o advogado Anderson Pomini assumiu a coordenação jurídica do pessebista e hoje atua como seu mais próximo auxiliar.

A relação entre o advogado e Doria estremeceu quando o tucano deixou a Prefeitura para disputar o governo e escolheu outro escritório de advocacia para coordenar a parte jurídica da campanha. “Foi na campanha de Doria em 2016 que conheci o Márcio França. Ele ajudou o João a trazer os primeiros partidos para a coligação dele. Nunca briguei com Doria, mas me afastei pela falta de lealdade”, disse Pomini ao Estadão. Procurado, Doria não quis comentar a declaração.

Já o marqueteiro de França em 2018, Felipe Soutello, agora coordena a comunicação da pré-campanha de Covas. O estrategista também atuou na campanha presidencial de José Serra em 2010 e de Gilberto Kassab (PSD) à reeleição em 2008.

A equipe de França ainda pode ser reforçada com a contratação do publicitário Lula Guimarães, que trabalhou para Doria em 2016. As partes ainda estão negociando.

Outros dois ex-auxiliares diretos de Doria que foram para a oposição a Covas são o publicitário Daniel Braga e o jornalista Fábio Santos. Ambos já atuam hoje no time da deputada Joice Hasselmann (PSL), que é aliada e amiga do governador tucano, mas concorrerá à Prefeitura contra Covas.

Em 2018, Braga trabalhou na campanha de Henrique Meirelles (MDB) à Presidência e de Doria para governador, tendo sido o criador do mote “Bolsodoria”. Em 2016, ele comandou as redes sociais de candidato tucano na disputa pela Prefeitura. Ainda hoje, Braga é próximo do governador, com quem mantém uma relação de amizade.

Já Fábio Santos foi assessor de imprensa da campanha do tucano em 2016 e secretário de Comunicação da Prefeitura nas gestões Doria e Covas. “Essa foi uma decisão profissional”, disse Santos. Em outra frente, porém, o atual chefe de gabinete do governador, Wilson Pedroso, será o coordenador geral da campanha de Covas à reeleição.

Pré-candidato do PSD, o ex-tucano Andrea Matarazzo (PSD) já acertou a contratação do marqueteiro mineiro Paulo Vasconcellos para coordenar sua campanha. Em 2016, o publicitário comandou a campanha vitoriosa de Alexandre Kallil (PSD) à prefeitura de Belo Horizonte e em 2010 a de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República. Ele prevê uma “briga de foice” pelos eleitores de centro. “Mas essa eleição sofrerá menos com a ideologização”, concluiu.

Veja as mudanças de auxiliares às vésperas da eleição em São Paulo

Felipe Soutello, marqueteiro:

2006: José Serra (PSDB)

2008: Gilberto Kassab (PSD)

2018: Márcio França (PSB)

2020: Bruno Covas (PSDB)

Anderson Pomini, advogado eleitoral

2016: João Doria (PSDB) – assessor de campanha e depois secretário de Negócios Jurídicos

2020: Márcio França (PSB)

Daniel Braga, marqueteiro

2016 e 2018: João Doria (PSDB)

2020: Joice Hasselmann (PSL)

Fábio Santos, jornalista

2016 – João Doria (PSDB)

2018 – Bruno Covas (PSDB) – foi secretário de Comunicação de Doria e Covas

2020 – Joice Hasselmann (PSL)

Paulo Vasconcellos, marqueteiro:

2014: Aécio Neves (PSDB)

2016: Alexandre Kalil (PSD)

2018: Antonio Anastasia (PSDB)

2020: Andrea Matarazzo (PSD)

Wilson Pedroso. coordenador político

2016 – João Doria (PSDB)

2018 – João Doria (PSDB) – atual chefe de gabinete do governador

2020 – Bruno Covas (PSDB)

Adicionar aos favoritos o Link permanente.