Moro se manifesta contra o encerramento da força-tarefa da Lava Jato

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro disse nesta 2ª feira (31.ago.2020) que a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba (PR) deve ser mantida. No Twitter, o ex-juiz da operação afirmou ser a favor da renovação da equipe do Ministério Público Federal por 1 ano, que foi solicitada pelos próprios procuradores ao procurador-geral da República, Augusto Aras.

Em seu período frente a operação no Judiciário (2014-2018), Sergio Moro foi o juiz titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, para onde os processos da operação na capital paranaense eram enviados. O atual chefe da força-tarefa, o procurador federal Deltan Dallagnol, já exercia o cargo à época.

Entenda

Formada por procuradores do MPF (Ministério Público Federal), órgão chefiado pela PGR, a força-tarefa tem 14 membros, sendo 7 exclusivos para a Lava Jato. A divisão funciona assim desde o estabelecimento da equipe, em 2014, cerca de 1 mês depois da 1ª operação.

O grupo foi renovado 7 vezes. A atual permissão expira em 10 de setembro. O pedido não tem data-limite para ser julgado.

Aras é o 3º procurador-geral desde a criação da força-tarefa, feita sob a gestão de Rodrigo Janot. A sucessora, Raquel Dodge, decidiu não alterar o modus operandi do grupo.

Continuar lendo
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.