Mulheres são a maioria dos eleitores no 2º turno das eleições municipais

Aos 58 anos, a Denise Yarmalavicius nunca deixou de votar. Para a dentista, o direito conquistado com muita luta pelas mulheres não pode ser desperdiçado. “A gente sabe que hoje em dia muitas famílias são lideradas por mulheres e que nenhuma mulher vai deixar que outra pessoa decida o que é melhor para a família dela. Eu acho que o ato de votar é praticamente proteger as pessoas que a gente gosta. Você tá escolhendo quem vai coordenar o lugar em que sua família vive.” Já a Isabela, de 18 anos, votou pela primeira vez neste ano. Desde 2018, a estudante tem se envolvido cada vez mais com o processo político. “Acho que isso é muito da minha geração, procurar cada vez mais desenvolver esses aspectos. Me senti muito orgulhosa por ter exercido meu papel como cidadã e como mulher, porque a gente sabe que foi muito difícil para nós conquistar esses direitos. Inclusive, eu busquei votar em mulheres dentro da medida possível.”

Quase 54% dos eleitores aptos a votar nos 57 municípios em que haverá segundo turno são mulheres. Segundo a professora de Cultura Política da Universidade Federal da Bahia, Patrícia Valim, apesar de a maioria do eleitorado ser feminino, ainda são poucos os candidatos que se preocupam em políticas públicas exclusivas para mulheres. “A gente já está em um momento que o fortalecimento da democracia passa pelo reconhecimento de que a política não é feita para mim ou para os meus ou para as pessoas como eu. Mas, sim, para um conjunto da população que sofre diariamente. Por falta de casa, de água, de política pública, de creche, de leite.” Cerca de 38 milhões de eleitores poderão eleger prefeitos neste domingo, 29. Além da maioria feminina: 56% são solteiros, 11% estão na faixa etária de 35 a 39 anos e cerca de 30% têm ensino médio completo.

*Com informações da repórter Letícia Santini

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.