PJSC, TCE/SC, Alesc e MPSC buscam soluções conjuntas para a “judicialização da saúde”

Durante a reunião, os presidentes do PJSC, desembargador Ricardo Roesler, do TCE/SC, conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira Júnior, da Alesc, deputado Julio Garcia, e o procurador-geral de Justiça, Fernando Comin, ressaltaram que a articulação entre os poderes e órgãos é fundamental para a redução da judicialização, especialmente sobre medicamentos, que em 2018 representou 87,40% de todos os 28.501 pedidos judiciais. “Precisamos debater esse tema importante para a sociedade, que tem impacto grande nas contas públicas e sempre gera muita polêmica em função da alocação orçamentária”, enfatizou o conselheiro Adircélio. Também participaram do debate o conselheiro Luiz Eduardo Cherem, o desembargador João Henrique Blasi (1º vice-presidente do TJSC) e o desembargador Ronei Danielli.

Segundo o presidente do TCE/SC, a ideia é aproveitar os resultados da auditoria operacional para promover o debate sobre a atuação estatal, a partir de um diálogo institucional, e apresentar soluções conjuntas. “Penso que, por meio da ação articulada entre todos os atores, conseguiremos encontrar os melhores caminhos para a sociedade”, destacou. “É uma iniciativa fundamental para estabelecermos um orçamento mais equilibrado, para contribuirmos na resolução de um problema de Estado”, afirmou o presidente do PJSC (com informações da Assessoria de Imprensa do TCE/SC).

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.