Quantos crocodilos cabem em uma foto?

Orgulho do pai: filhotes de crocodilo gavial presos ao dorso do macho em santuário indiano
Dhritiman Mukherjee/WPY/NHM

Quantos crocodilos você consegue contar na foto acima? Cem, talvez?

A imagem foi feita pelo fotógrafo Dhritiman Mukherjee no Santuário Nacional de Chambal, na Índia, e é um dos destaques da Wildlife Photographer of the Year (WPY), uma das principais premiações de fotografias de vida selvagem do mundo.

A espécie que protagoniza a cena, o crocodilo gavial (Gavialis gangeticus), conhecido por ter a boca longa e fina, está criticamente ameaçada.

Acredita-se que a população de quase 20 mil animais que habitava o sul da Ásia hoje se restringe a menos de mil — e três quartos deles estão concentrados no santuário indiano localizado no Estado de Uttar Pradesh, no norte do país.

“Esse macho havia acasalado com sete ou oito fêmeas, e você pode ver como ele estava comprometido”, disse Dhritiman à BBC News.

“Normalmente, o gavial é um crocodilo mais reservado do que os de água salgada ou os crocodilos persas. Mas esse era bastante protetor e, se eu me aproximasse, certamente me atacaria. Ele poderia ficar bastante agressivo”, acrescentou.

Sequência de imagens feita pelo fotógrafo indiano concorre na categoria ‘Répteis e Anfíbios’
Dhritiman Mukherjee

 A protuberância que fica na extremidade da boca do animal se assemelha a um vaso de cerâmica, ou “ghara” na língua hindi.

“É uma estrutura que permite que os sons vocais sejam amplificados”, explica Patrick Campbell, curador do acervo de herpetologia do Museu de História Natural de Londres, que organiza a competição.

“Outros crocodilos carregam a prole na boca — com muito cuidado, é claro! Para o gavial, por causa da morfologia incomum de sua boca, isso não é possível. Então os filhotes têm que se pendurar na cabeça e nas costas para ter aquela ligação mais próxima e a proteção.”

A queda acentuada da população dessa espécie é mais uma dentre muitas histórias envolvendo a perda de habitat natural de animais selvagens.

Acervo do Museu de História Natural britânico tem esqueletos de gavial trazidos no período colonial
Patrick Campbell

Nesse caso em específico, a mudança no ambiente em que vivem os crocodilos se deu com a construção de barragens que alteraram o curso natural de rios da região.

A extração de areia e a remoção de seixos, por sua vez, restringiram os locais em que a espécie construía seus ninhos. E há ainda o problema antigo das redes de pesca, onde muitos animais acabam presos.

Programas de conservação que promovem a reprodução em cativeiro, conhecidos como “rear and release“, tentam evitar que a espécie caminhe em direção à extinção. Mas ainda é preciso muito para que ela tenha de fato um futuro na natureza.

Dhritiman espera contribuir com o esforço fazendo uma ponte entre a emoção que sua imagem desperta e a estrada que leva à conservação do crocodilo gavial.

Os vencedores da edição de 2020 da WPY, que acontece desde 1965, serão anunciados no dia 13 de outubro.

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.