Técnica criada na USP usa rejeitos de madeira para fabricar material de construção e decoração


Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) desenvolveram técnica sustentável para fabricar vigas e painéis. Técnica criada na USP São Carlos usa rejeitos de madeira para fabricar material de construção e decoração
Marlon Tavoni/EPTV
Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da Universidade de São Paulo (USP) desenvolveram uma técnica sustentável para fabricar vigas e painéis a partir de rejeitos de madeira.
Os pesquisadores conseguiram propor um novo destino a esses rejeitos, utilizando-os para construir um tipo de painel feito com lascas de árvores (OSB), conhecido por sua utilização na construção civil, fabricação de móveis, produção de embalagens e decoração.
Segundo o professor da USP Francisco Antonio Rocco Lahr, o estudo demonstrou que a qualidade do painel feito com rejeitos é a mesma do produto feito com as toras.
“Foi alcançada a mesma qualidade atendendo aos requisitos de desempenho dos documentos normativos brasileiros e europeus”, disse.
Reaproveitamento
Segundo a IBÁ, são gerados anualmente no país aproximadamente 800 mil toneladas de rejeitos de madeira
Marlon Tavoni/EPTV
A serraria do comerciante Paulo César Sonego trabalha com madeira de eucalipto e pinus. Ele produz materiais que são usados na construção civil, como vigas para telhado. Entre um corte e outro, sobram pequenos pedaços, o chamado material de rejeito. Por semana são cerca de dez toneladas.
Segundo a Indústria Brasileira de Árvores (IBÁ), são gerados anualmente no país aproximadamente 800 mil toneladas de rejeitos oriundos da produção de madeira.
Esses resíduos, que podem ser partes de troncos com rachaduras ou fora das medidas desejadas e até pedaços laterais da tora, normalmente são queimados após o processo de extração, gerando danos ao meio ambiente devido à emissão de gás carbônico na atmosfera.
Estudo
Professor da USP diz que estudo demonstrou que a qualidade do painel feito com rejeitos é a mesma do produto feito com as toras
Marlon Tavoni/EPTV
O estudo foi realizado no Laboratório de Madeira e de Estruturas de Madeira (LaMEM) do SET, em parceria com a Universidade do Porto, em Portugal.
Autora principal do trabalho, a pesquisadora Isabella Imakawa Araújo, doutoranda da EESC, contou que as espécies de madeira utilizadas no projeto para o desenvolvimento dos painéis OSB estão entre as que mais geram rejeitos nas serrarias do Norte, principal região produtora de madeira do país.
As espécies estudadas no trabalho foram: cambará, caixeta, tatajuba, tauari e cedroarana. A cientista explicou que desenvolveu tanto painéis utilizando espécies isoladas como misturando mais de uma na mesma peça, que tinha sempre três camadas, sendo que em cada uma delas as lascas eram posicionadas em sentidos diferentes.
Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) desenvolveram técnica sustentável para fabricar vigas e painéis
Marlon Tavoni/EPTV
A ideia de realizar a pesquisa surgiu após visitas realizadas pelo professor Rocco a universidades do Norte, oportunidades em que ele observou de perto o processo de produção de madeira local, com grandes quantidades de rejeitos sendo transportados para a queima, o que despertou o interesse em tentar aproveitar o material que seria descartado para a fabricação dos painéis.
Segundo os pesquisadores, nos próximos passos do trabalho eles pretendem ajudar a viabilizar a implantação da primeira empresa produtora de painéis OSB do Norte do Brasil, a fim de facilitar a logística de aproveitamento dos rejeitos.
“O ambiente e a construção civil de uma maneira geral, a indústria do mobiliário, das embalagens e também as questões arquitetônicas serão muito beneficiadas”, disse o professor.
Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.