Tesouro vê restrições de liquidez e deve solicitar transferência do BC ainda este mês, diz Funchal

O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, afirmou nesta terça-feira que diante das severas restrições nas condições de liquidez vivenciadas em função da pandemia da Covid-19 o Tesouro deverá solicitar ao Conselho Monetário Nacional (CMN), provavelmente ainda em agosto, a transferência de resultados cambiais do Banco Central.

“A gente está em uma situação na qual, quando a gente olha exatamente para situação trazida pela pandemia, a gente consegue ver essa severa restrição de liquidez”, afirmou Funchal em videoconferência promovida pelo Banco Santander, lembrando que, nessas condições, a legislação permite o repasse do BC ao Tesouro.

“Faz todo o sentido, a gente olhando essas mudanças severas no mercado, bastante específicas, levar esse tema para o Conselho Monetário Nacional, e é isso que o Tesouro está fazendo”, disse Funchal, acrescentando que isso aconteceria provavelmente em agosto.

O secretário destacou que o aumento de gastos para o enfrentamento da pandemia demandou uma elevação no número de emissões pelo Tesouro, situação observada principalmente nos dois últimos meses.

“Pelo lado da demanda por títulos, o mercado está respondendo a esse choque não com aumento de preço dos títulos públicos, mas com encurtamento da dívida. Então essa rolagem, nos próximos meses, ela vai ficar mais volumosa”, explicou.

A lei que regulamenta as relações entre Tesouro e BC, de 2019, traz uma brecha para utilização dos recursos de resultados obtidos com operações cambiais para o pagamento da dívida pública interna quando severas restrições nas condições de liquidez afetarem de forma significativa o seu refinanciamento.

Ontem, no entanto, em reunião com ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), o presidente do BC, Roberto Campos Neto, mencionou a necessidade de prudência na transferência de resultados cambiais do BC ao Tesouro.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.