Verifica Coronavírus EP18: Desinformação é usada para minimizar gravidade da pandemia

Nesta semana, o Brasil ultrapassou a marca dos 100 mil mortos por Covid-19. Em números absolutos, somos o segundo país com mais mortos pela doença no mundo, atrás somente dos Estados Unidos. Boatos relacionados à pandemia tentam minimizar a gravidade da crise e a importância de medidas como o isolamento social. No 18º episódio do Verifica, os jornalistas Gilberto Scofield Jr. e Natália Leal, conversam sobre os efeitos nocivos gerados por essas informações falsas.

Dois boatos comentados pelos apresentadores falam sobre desaceleração da epidemia em duas regiões: cidade de São Paulo e África. Um post compartilhado no Facebook dizia que não houve mortes causadas pela Covid-19 na capital paulista em dois dias no início de agosto. Outro, dizia que ivermectina seria o medicamento responsável por diminuir os casos da doença na África. Ambas as informações estão incorretas. Eles comentam, também, um texto que atribui o fechamento de 60 mil empresas na Argentina às medidas preventivas contra a pandemia.

Os jornalistas debatem ainda sobre dois estudos – um britânico e outro australiano – que demonstram a importância da testagem e do monitoramento de casos da Covid-19 para garantir a segurança na volta às aulas. Sem essa medida, os cientistas alertam que é alto o risco de as escolas virarem um foco de um novo surto de Covid-19.

Por último, a repórter Nathália Afonso entrevista o infectologista e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Edimilson Migowski. Neste episódio, selecionamos as dúvidas mais comuns sobre Covid-19 entre os leitores e ouvintes da Lupa e buscamos solucioná-las.

Ouça o novo episódio desta temporada especial:

Ficha técnica

O Verifica é uma produção da Agência Lupa, em parceria com Colmeia Podcast

Apresentação: Gilberto Scofield Jr. e Natália Leal

Produção e reportagem: Equipe Lupa

Roteiro e edição: Colmeia Podcast

Sugestões e dúvidas? Fale conosco no lupa@lupa.news

Nota: a segunda temporada do Verifica conta com o apoio da International Fact-checking Network e do Facebook, através do Coronavírus Fact-checking Grants.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.